Vera Lyn Poeta

A arte é Divina, é a salvação. A arte nos poe mais perto de Deus. v.l.p

sexta-feira, outubro 26, 2012
















Depois que passamos a refletir, refletir, e refletir; durante longo tempo,
talvez - alguns anos. Chegamos finalmente, às respostas mais urgentes.
Nenhum assombro. Nenhuma surpresa.
Pode ser, que a gente tenha feito tudo muito certo, por oca

siões erradas.
Ou, estivemos errados por ocasiões certas. Drama, humano.
Nada, volta outra vez, como antes. Isso, é definitivo.
Penso na rigidez da disciplina. Essa, que a gente se submete para poder
ter o controle de si mesmo.
Seguir, sempre em frente, eis!
Não romper definitivamente, mas, manter-se de pé - seguindo em frente.
Não desamar, jamais. Mas também, não corromper-se; se não deu aqui -
vai ter que dar acolá. Temos que continuar vivendo. Devemos à vida.
Enfim, incorrompível disciplina, mesmo que tentem. Porque vão tentar, e
muito!

Vera Lyn Poeta

quinta-feira, outubro 25, 2012


Quanto mais poesias aqui dentro.
Mais motivação,
objetividade,
praticidade,
e um final de dia concluído com êxito...aqui fora!




Vera Lyn Poeta
Tenho comigo, que o que sinto por você, é a última vez....
É a única vez - em verdade; É para sempre...
...não por escolha, mas no descuido - nossas almas se entenderam, se completaram; tudo mais forte que nossos
outros amores; mais forte que nós, e até da própria morte.

Brincamos com o fogo das paixões: sinto muito!


Peregrinação: sinto muito!


Coração quase morto, insatisfeito, e louco: sinto

muito!

Eu sei que você, é a última vez, eu sei.

Vera Lyn Poeta


Vivo, inventado anjos, para poder amar sem condenações.
Sem arrependimendos; seguidos por àquela sensação desorientada,
de que tudo pode acabar a qualquer momento.
Não vejo loucura nisso. Acho que é- proteção a todo esse, que me
causa em tremor, por toda minha vida.

Místico...porém, é!

Vera Lyn Poeta


"QUANDO PERDEMOS A CAPACIDADE DE NOS INDIGNAR COM AS ATROCIDADES COMETIDAS CONTRA OS OUTROS, PERDEMOS TAMBÉM A NOSSA CONDIÇÃO DE SERES HUMANOS."

<Vladimir Herzog>
"Daqui vinte anos você estará mais decepcionado pelas coisas
que você não fez do que pelas coisas que você fez.
Portanto livre-se das bolinas.
Navegue longe dos portos seguros.
Pegue os ventos da aventura em suas velas.
Explore. Sonhe. Descubra."

<Mark Twain>
"Eu não falo de vingança nem de perdão, o esquecimento é a única vingança e o único perdão."

(Jorge Luis Borges)
..também, existem pessoas, que nascem para fazer oposição; opôr-se, às vidas!
À vida alheia, bem dito.
Trazem consigo, a saga duma cancela. Ao menor ruido do bater em asas d'um
próximo, baixam a cancela, e querem o pedágio! Mas, quem sabe da fúria, salta!
Aos cancelas, não lhes basta tudo, querem sempre mais; querem à luz....

Luz!

Ilumine, Deus, quem está tentando chegar.
Dê, tão somente forças,

para quem precisa alcançar.
Abençõe-nos, por cada segundo de nossa existência.
Nos ensina a ser melhor.
Nos ajude a superar, em nós mesmos.
Tira, a trava do mal do nosso caminho!
Amém, sempre, é o que lhe digo, súpero > na criação.

Vera Lyn Poeta
As mulheres, não deverão levantarem suas saias, para provarem que podem.
Os homens, não deverão serem corruptíveis, para estarem no poder.
Tudo isso, é muito frágil, e sem futuro nenhum.

Vera Lyn Poeta

A depressão, é uma imensa porta aberta à maledicência.
É mal dito, àqueles que percebem o estado depressivo d'uma pessoa,
e fazem ali > seu ninho de discórdias; tripudiam ao bel-prazer.
Acreditar noutro dia, é voltar preparado para se defender -desarmado-,
porém intocável.
O que nos derruba por um tempo, nada mais é, do que a própria vida
chamando à essência.
Esclarecendo que a bondade inocente, é

o fim contemplado a olho nú;
definhamento lúcido e dolorido.
Se a gente volta, não vai mais poder mentir, seja o que vier.
Agora,olho pro céu, refletindo em Deus, o que posso fazer por mim.
E, se o que faço por mim, pode sem um bem coletivo a quem interessar,
possa.

Vera Lyn Poeta
Poder e ser autêntico.
Mostrar a cara sem nenhum arrependimento.
Deixar-se extravazar em pura veracidade.
Conduzir-se pelos respiros dos instantes.
Estar de pleno acordo com o daqui a pouco.
Preparar-se, e receber o daqui a pouco, já, de mangas arregaçadas.
Conduzir tudo em clássica alma, seguindo o objetivo,
encantando o momento, tentando restabelecer-se ao
novo dia.
Nada disso, é coragem. Isso,

é compactar-se à vida;
Vida - leva eu.

Vera Lyn Poeta












Esta imagem, que deve ser visualizada sem os olhos da demagogia, pode ser um alerta ao ego.

Em tempo, a decisão de exterminar completamente, todo e qualquer vestígio, dessas reações absurdas, quando ajuízamos,
culpamos,
e condenamos outras pessoas, pelo nosso fracasso interno.



A consciencia, fala sempre. Dá-lhe, ouvidos - penso, sempre.



Atentar ao culpado, ou culpados, é regredir à arvore genealógica.
Garantir-se, é assumir-se, e dai?

Da mesma forma que raramente se divide prazeres, também precisa-se de pulso.


Não sei o que é fundamental para cada um. Só entendo, que livrei-me do sete-um, graças a Deus; seguindo a disciplina da reflexão.















Existe um tempo, que perder-me, encontrando-me pelos confins > me - é tudo!
A sensação que ultrapasso todas as regras, lançando-me num salto furioso, mas transponível; 
 

transcedente até à morte....me salva!
É uma decisão única e arriscada.

Onde o acaso pode surpreender, não autorizando nenhuma aterrizagem.
Mas, a vida é risco; pela minha existência, sempre fora.

A poesia, tem o dom de arrastar-me para onde queira.
Esse pulsar de coração, amanhecido sem saber porquê...
Há, controvérsias no mundo habitado, que deságua pelo desconhecível, fazendo
rochas, germinarem flores inocentes.




















No tempo do pânico, a gente insiste, crendo que nossas costas, é >>mural da covardia!    "Que, nada!". - Um dia, a gente diz, com força!
Acaba se entendo. Porque houve obstinção em provar para si mesmo, que as

coisas não poderiam ser assim. Tudo, não passou d'um equívoco.

Marra; pulso de sangue quente e correndo pelas veias, enfim.


Tudo, não passou d'um deslize emocional. Escorregadelas, cuja mente à

revelia;
dessintonizada, conspirou a favor do negativismo.

Os olhos, terminam por ver tudo igual. Nem melhor nem pior, tudo igual.

Mesmas pressas e preguiças. Ganhos e percas. Solidões, e companhias.
Na maioria das vezes, visto a olho-nú, é de amor e de companhia, que todos
precisam.

sexta-feira, outubro 19, 2012

Agonias, mortas!

Lembro-me também, que deixei de tentar "levantar defuntos".
Descobri que a vida, é uma mão colada a outra mão; aperto
forte de irmandade positiva. Identicas buscas, mesmo que por
caminhos diferentes.
É horrível, participar da vida de pessoas, que todos os dias se
dizem péssimas! Que vive, desrespeitosamente, montada no
negativo. E, ainda por cima, tentam te levar junto....

Peço a Deus, para que um dia
,
abram seus olhos na forma lúcida
em direitos iguais.
Na forma serena da noite em luares. Por aqueles dias
maravilhosos de chuvas, que nos põe a sonhar.

Se o sangue ainda está quente, e o pulso - pulsa. Ainda há

vida e esperanças.


Richard Bach






"....Aprendeu que um eficiente mergulho a grande velocidade lhe dava o peixe raro e saboroso, que vivia três metros abaixo da superfície do mar.
Já não precisava de barcos de pesca nem de pão duro para viver.
Aprendeu a dormir no ar......!

**Richard Bach**
em: 'Fernão Capelo Gaivota'

quarta-feira, outubro 17, 2012

O tempo da infância





Havia, um enorme pomar naquele quintal, que fazia fundos a única cadeia,
daquela cidadezinha provinciana.

Frutas saradas, vivas mesmo. Era o meu vagar preferido, aos seis!
Criança, sonha. Deixa se levar pelo encanto silencioso, de lugares
naturalmente tomados pelo colorido de fé.


Vivi, por algum tempo da amada infância, naquele soberano paraiso.
Reminiscências.



....passa boi, passa boiada.....!!

Vera Lyn Poeta
















Existe um mar dentro de ti, que me atrai.
Me espalha em areias....me semeia...
Faz meus sentidos queimarem lentamente,
como fagulhas de lareira....
Dou-te trezentos pores-do-sol,
Apenas de-me uma flor, então....



Vera Lyn Poeta

segunda-feira, outubro 15, 2012

Hoje, acredito piamente na força do pensamento!
Tanto constrói, como destrói - facilmente.


Vera Lyn Poeta












Hoje, só preciso ter a força de uma folha sêca.
O estrondoso ruido de seu despencar.
De sua concordância em tocar a terra; o pó de retorno.
Hoje, eu preciso somente de minhas mãos!

Vera Lyn Poeta