Vera Lyn Poeta

A arte é Divina, é a salvação. A arte nos poe mais perto de Deus. v.l.p

terça-feira, maio 31, 2011

Tratando com pessoas difíceis !

















Há no mundo pessoas difíceis de tratar, mentalmente distorcidas e deformadas. Estão mal condicionadas. Muitas são delinqüentes mentais, hostis, não cooperativas, sempre irritadas, cínicas, amargas. Estão psicologicamente doentes.
Muitas outras pessoas possuem mente deformada e distorcida, provavelmente em decorrência de algum fato acontecido na infância. Outras possuem ainda deformidades congênitas.

Você não condenaria uma pessoa que teve tuberculose e, portanto, não pode condenar uma pessoa que está mentalmente doente.
Ninguém, por exemplo, odeia ou tem ressentimento de um corcunda – pois saiba que há muitos corcundas mentais.
Você deve ter compaixão e compreensão.
Tudo compreender é perdoar.


Joseph Murphy.
(O Poder do Subconsciente).

sexta-feira, maio 27, 2011

Minha vida no palco iluminado!



















Visto de vez, a arte!
Pelo palco iluminado, minha fala;
O desabafo, o meu grito!


Escancaro cada segredo, adormecido!
Choro, gemo e digo:


"Eu sou o próprio poema que recito.
Melancôlico ou atrevido,
Morto ou vivo,
Encontrado ou perdido;
Eu sou o poema que recito!!!"

"Sou o que nem mesmo eu, posso tocar!
Só posso sentir....sentir....e sentir....
Eu sou a minha própria solidão em meio a
multidão......
Eu sou esse silêncio no meu grito.
E, só posso sentir....sentir....e sentir".

Ápice de minhas emoções!!

Estou em frangalhos, suada, desesperada....

Momento esse, que anjos, tomam-me pelas mãos
e me guardam à dormir - sob suas asas tão alvas,
Quanto as nuvens que passeio agora.




VeraLynPoeta

quinta-feira, maio 26, 2011

Primeiros Passos

















Vou deixando para a euforia,
O que cabe somente em euforias.

Vou deixando para a ilusão,
O que cabe somente em ilusões.


Vou deixando para o destino,
O que cabe somente em destinos.

Vou deixando perguntas,
Cada uma ao seu tempo, o próprio tempo as
responderão.

Vou deixando o acaso para sua casualidade:  
"Se por acaso eu....."   Não, isso não!

Vou deixando o que poderia ter sido, para o que 
nunca será!

Levo os discos, os livros, os filhos...... 

O sol, está se pondo no ocaso.


VeraLynPoeta



quarta-feira, maio 25, 2011

Simples, assim!
























No pior momento de minha vida, sentada em frente a minha casa, olhando em direção ao nada  -

Então veio o vento e o balanço do parquinho moveu:   para lá e para cá, rangendo em barulho; quebrando o silêncio... 

Pus-me a imaginar o  tempo da infância - lá pelos parquinhos da vida - meus amiguinhos,

Nossos risos escancarados,

O pega, solta, e abraça!

A infância de alegrias, sem essas coisas estranhas que gente

grande sente.....

Enfim, bastou!
Meu coração... eterneceu!

 

Senti o arrepio morno que a emoção tráz e então veio o sentimento AMOR, sobrepor àquela tristezinha chata que alí, me acomodava!

 
Confesso que o AMOR tem vida própria e age em cada um a seu tempo.
O AMOR é igualzinho a DEUS, esta em todos os lugares nos observando, nos servindo de estrutura e nos equilibrando à vida!

VeraLynPoeta

domingo, maio 22, 2011

É o Tempo !

















Queria ser como você
Que corre para outros braços.
Encontra em repentinos laços,
Todo eterno que nunca pude lhe dar!

Desce minhas malas na estação mais
Próxima.
Diz-me adeus e vai-se embora:
“Tá vendo ?” – me diz morrendo por dentro!

Faz valer em poder, a lei dos desoprimidos:
“Achou que eu não o faria?!”

Quebra meu canto.
Aumenta meu pranto.
E nas arenas das contradições,
Nossos corações não apartam;
Driblam-nos em destinos....
Destino? Será destino?

Será que eu suportaria uma felicidade tão
Completa, meu anjo?

Empatia transmigrar!!

E, de braços abertos vou engolindo luas.
Esculpindo-me em nuvens.
Tingindo-me em estrelas.
Para logo mais, evaporar-me em sóis!
É o tempo sorrindo para mim.


VeraLynPoeta

sábado, maio 21, 2011

Queria....
















Queria eu, um dia completo desse dia.
Onde a constância de minha procura, me encontrasse por fim.
Queria eu, um dia completo desse dia.
Onde a inconstância desse uma resposta definitiva, que
durasse apenas meia hora, de minha procura por fim.

 
Queria eu, um dia completo desse dia.
Onde a constância de minha procura, desarmasse meu coração,
por fim.
Jogaria-me então, num canto solitário da casa, arrancaria as vestes
desse dia,
Ficaria alí, vendo o silêncio passar....e passar....e passar.......
Onde a inconstância desse dia, findaria.
Me projetasse no palpável -  à um toque!
Queria sim.
Mas eu não sei.
E esse não sei, é toda certeza que tenho.




VeraLynPoeta



terça-feira, maio 17, 2011

Nenhum abismo













Nenhum abismo poderá me conter.
Conheço bem os abismos!
Corri pelos abismos,
De olhos fechado, debati-me pelos abismos!

Cerceando e seguindo o vento,
Tocando paredes;
Sangrando!


Oh, minhas mãos,
Sangrando!


Oh, meu peito de coração,
Sangrando!


Oh, minha doce alma,
Sangrando......Perdão!


Perdão!


Mas o que seria da busca,
Sem seus poços de conversões;
Ainda quando, acumula-se o desconhecível?!


Abismos. Abismos.
Abismos que me narram!


Sinto o gosto do vento
Que bate no teu rosto triste,
Perdido no tempo!


VeraLynPoeta

segunda-feira, maio 16, 2011

Ficando só














Espero as pessoas irem dormir; seja pelo dia ou pela noite.
Preciso ficar so. Preciso pensar.
Preciso andar para lá e para cá com meus pensamentos,
Sem que nada os atravesse, - pow! - Fleche; estanque, façam doer os  caminhos que segue minha imaginação; por onde passa minha mente: em impertubavéis sonhos!!

VeraLynPoeta


domingo, maio 15, 2011

Penas















Ancoro-me em meus pensamentos.
Como uma pedra gigante que vão querer tirar,
arrancar, desobistruir;
Irão unir forças, empurrar,
Um, Dois, Três.....Já!
Nesse instante, meus pensamentos tomam formas.
Vivem independentes.
A pedra ?
Oras, a pedra rolou....
Eu?
Oras, estou aqui!

As pessoas?

Oras, não mais as ví!
Vera Lyn Poeta.

sábado, maio 14, 2011

Socorrooooooooo!!!!















Me
us dias não são mais iguais!

Há, algo num instante,
Que precisa transbordar continuamente!
Atravessa-me, Senhor!
Os sonhos estão me engolindo....
Acuda-me, preciso de, suportes!


Arte, nasce, arte.

VeraLynpoeta

Egresso



















Tenho um paraíso traçado na mente.
Não é imaginação em fruto.
Há um rio caudaloso que deságua,
no chão que me guia.
Sinto o cheiro da terra molhada,
Há frescor no ar !
A natureza que auto multiplica,
Esta respingada.
Deleito-me, alí....
Úmida terra de silêncio em cantos....
Tanta melodia!!!

Minha boca comenta perplexa, essa
imagem viva que se move;
Move e penetra.
Toma conta de mim e harmoniza.

Minh'alma me leva.
Minh'alma me quer; esta comigo !

Oh, céus.....
Multiplicação de sentidos latentes sobre a terra
viva!
A terra, salta-me em grãos pelas pernas!!
Meus olhos choram,
Nesses instantes de amor maior;
Amor anfitrião de todos outros amores!!!

VeraLynPoeta

Meu amor!






Procuro na tua imagem, matar minha saudade.
E você se transborda em fake, como se tivesse
vergonha de mostrar esse rosto que tanto amo!

VeraLynpoeta

sexta-feira, maio 13, 2011

O Amor.














O Amor.

O amor tem suas próprias leis.
Nos condiciona. Nos coloca contra paredes,
até que se esguiche flores; flores e canções.

Isso, vai tornando vício e assim, o amor nos
compõe.

E o amor segue. Vai em busca de mais conversões;
Traçando uma a uma, com extrema força e sutil
delicadeza. Precisa de almas humanas, lapidadas,
Como perólas para que se cuidem da própria criação.
Para que mantenham vivo, todos os desejos, todos
os sonhos;
Toda realidade a que nos conduzimos.

O amor é mesmo assim,
Não morre, nunca! Só muda de
estação!

VeraLynPoeta

quarta-feira, maio 11, 2011

O Poder Humano é Infinito !























Do abraço leve, sincero, caloroso - que veio do infinito;
Foi um passo à dança!
Intensas terapias e explosivos confrontos: "mantenha à
calma", dizia.

A vontade de exsurgir,
De despontar serena e receptiva,
De harmonizar à parte boa da vida - sim, por que Deus
nos direciona em dignidades -, foi mais forte!

Quebrei o espelho que nos traduz na fileira da descrença;
emergi.
Estava desgastada físicamente; aparência cansada, fora
de órbita, ainda. Mas com a faca e o queijo às mãos!

"Preciso contar para as pessoas que é possível, sim!"

Esmigalhei o espelho da baixo auto estima: aprendi a me 
amar e respeitar o que sou.


"Eu sou assim mesmo", disse
"Ser assim, é toda minha vida.", concluí com êxito.


Lapidei. Suavemente pus-me em meu colo e absorvi.
Encontrei no incondicional à liberdade.


Joio e trigo separados, saio à luta.


Aprendo todo dia algo novo. Isso tem gerado bons e
dinamicos frutos.
TUDO é possível sim!
Mesmo porque é preciso levantar a cabeça, pois o mundo
evoluí em extrema velocidade. Não dá mais para viver
à sombra dê.


Humildade e simplicidade, é o que rogo à Deus, todos os
instantes de minha vida.


Pedir paz para o mundo, JÁ NÃO É UM SONHO apenas -
é urgência!


Cada um de nós, transformando-se em ferramentas, haveremos
de acender a luz do túnel!


A luz do túnel não acende sózinha.




VeraLynPoeta


Bom dia!


:

terça-feira, maio 10, 2011

Duelo























Posso arrancar meu coração e sair!
E daí, sé é meu o meu coração?!
Dentro dele, o que guarda de ti? Oh,
imensa paixão, só isso.
O mais louco amor do mundo, só isso.
A saudade mais dolorida, só isso.
O desejo mais esparramado do mundo; um
desejo com calafrios, só isso.
Vontade de morrer e morrer dentro de ti,
todas as vezes, só isso.
Voce é esse silencio em que se perde meus
olhos!

VeraLynpoeta

Volta!




Volta para dentro de mim,
Eu sou tua casa!

Suba.
Volte aqui.

Eu sou o degrau em graus do teu
máximo sonho.

Dá voltas -  volta e meia - volta......
Então, fica.

Sou teu abrigo.
Teu sincero desejo.
Teu largo tempo em vázio,
Esse tempo que não viu passar!

Suba, levite, jogue-se em meus braços.
Volte aqui.
Eu sou o teu olhar perdido.
O teu sorriso triste.
A tua ansiêdade sem fim.
Venha.


VeraLynPoeta




domingo, maio 08, 2011

Mãe - Sete Mulheres Infinitas!













Teu doce olhar de repente entristece.
Se perde, percorre o vázio e volta no tempo....
Fico sem saber o que é mãe?!
Vai chorar?
Oh não, tudo já passou.
Nós estamos aqui, não estamos?
Vencemos; superamos quase tudo!

Não, não precisa falar dele. Lembrar de quando
ele nos esqueceu.
Mesmo porque, ele se perdeu.

Eis os teus filhos, todos!
Eis os teus netos, todos!
Toma em teus braços os teus bisnetos!
Voce sim, você venceu!

Minha querida mãe!
Quantos papéis na arte de ser mãe, hein mãe?!
Dona de casa; da casa dos outros!
Única responsável pela nossa educação; esten-
dendo-se à educação de outros!

Mulher digna!

Rompedora de útero em luz, sadia!
Conselhereira, educadora, apaziguadora,
paciente e equilibrada.
Inteligente, religiosa e fiel. Extenso coração;
Coração de mãe: Sempre cabe mais um!

Guarda-me em ovelha de roupas esgarçadas.
Cabelos desarranjados.
Meu tênis, coitado!  Uso óculos escuros à noite!
Desobedeço e fumo! Tomo porre - boemia!
Sou poeta caminhante, né mãe?!

Acomoda-me em sons de rock in roll ou, melan-
colicas cançoes. Te amo muito!

Te amo por tudo, principalmente pela luz na alma.
"Porque ao teus anjos dará ordens a teu respeito,
para que te guardem em todos os teus caminhos."
Salmo Noventa e Um, mãe! Obrigada.

Tira de letra minhas ações escancaradas de
 revolução! Tá nem ai, me chama à razão.

Deus sabia que a senhora seria o melhor Pai que um
filho, poderia ter!

Obrigada pela minha vida.
Pela minha luz, alma e espírito.
Obrigada pelo meu canto.

VeraLynPoeta

sexta-feira, maio 06, 2011

Caminhos que andei















Pelos caminhos que andei contando
o tempo,
Sem ao menos tê-lo sentí-lo,
Passo agora como expectadora.

As imagens escorregadias,
Furta-me em nitidez.

Soltam e cavalga embrenhando-se.
Não deverei tocá-las!
Não são mais, minhas.

Fartura em abraço entediantes.
Frios afagos.
Lábios vermelhos sem o mel.
Gosto amargo; perdão com gosto de fel.
Amontoados ferros retorcidos.

"A dor que deverás sente", penso.

Caminhos que andei.
Imagens que não são mais, minhas.
Ficaram as canções.

VeraLynPoeta

quinta-feira, maio 05, 2011

Coerência














Me submeto a testes de sobrevivência,
Como uma boa soldado que comanda um
batalhão insatisfeito e discriminador.

Sigo em regras e normas à missão a ser
cumprida.

Abasteço assim, o meu equilíbrio!

veralynpoeta

quarta-feira, maio 04, 2011

Resistindo


















Quem poderá julgar-nos intimamente a não ser
nossa própria consciência?

Vou cingindo o frontal com flores frescas.
Colhidas ainda com o orvalhar das manhãs.
Manhãs incertas, as vezes.

Ora agitadas, acesas, lúcidas, conclusas.
Outras, desconectadas - Embrenhadas num canto
da sala vendo o silêncio passar.....

Pausar humano.
Pausar regido pelo cansaço.
Ou serão os dois polos se abrindo; agindo impiedosos
sobre o cortex cerebral ?

Controláveis, mas inevitáveis.


veralyn



terça-feira, maio 03, 2011

Indulto
















Viver de amor, alimentar o amor num tempo
desses - o que significa?

Significa poder estender as mãos.

Dar os ombros.

Acalantar.

Juntar por fim, nossas fraquezas e decepções;
Salutar em fé e ações para amanhecermos em
dias melhores!

Dias dignos que nos farão merecedores de tanta
beleza espalhada nessa vida; Por esse mundão
afora!


veralynpoeta


segunda-feira, maio 02, 2011

Mundo da Lua

















Não me levem!
Sou poeta e caminhante!
Espalhada pelo sofá,
Sentada pelo alpendre da visão longínqua;
Fixa visão viceral.
Caminhando pelas ruas solitárias e seus
breves acenos,
Indo na busca do pão; suada,
Em pé ou caida:
-Procuro flores e sonhos!

Não me levem!
Sou poeta e descrevo sentimentos que aliviam;
Doem mas minimizam a intensidade de dores......

Se vivo no mundo da lua,
Será para trazê-la até aqui.


A lua meu Deus, a lua....
Como esteve linda por esta madrugada!

VeraLynPoeta.