Vera Lyn Poeta

A arte é Divina, é a salvação. A arte nos poe mais perto de Deus. v.l.p

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Construindo, Amores.

 
EXISTEM AMORES PERTO, QUE NÃO SAEM DA DISTÂNCIA.
CONSTRÓI-SE AMORES À DISTÂNCIA, QUE DE TÃO PERTO, ALIVIA!

Vera Lyn Poeta



Então vou dizer:  "Não sou mais sózinha. Conquistei o elo perdido que

                                transbordava; escorria-se  louco, dentro de mim..."

Estarei expressando-me, através da arte; à arte em escrever o que sinto.
Estarei  traduzindo-me em profunda forma de ser. Assim, por exemplo:
"Cada parte do meu corpo que agora toco - sinto!".

Pôxa, eu queria mesmo, era  conviver em meio às palavras; com essa
multidão de gente, que se expressa por palavras. Agora, estamos juntos,
finalmente.

Vera Lyn Poeta.


..e, era com tanta força...

 
 
 
 
 
 e, era com tanta FORÇA que àquela gaivota batia suas asas!!
Era uma força descomunal, uma pressa, uma urgência.......
Àquele peito rasgando os céus, aproximando do latente, sol;
seria uma despedida forte do que não deu certo;
uma BUSCA agora,do que seria e viria completar, mais um dia,
apenas.
Ahhhhhhhhhhhh!!

Vera Lyn Poeta

terça-feira, dezembro 27, 2011

Displicente, me encontro aos poucos...

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
É uma longa história essa minha hístória de amor com a vida.
Abalos sísmicos derivados de imprudências (?)..Tempestiva
caçada até o intocável e atingível.
Querendo ver e sentir o que há por detrás do mundo; essa
enorme bola de terra que sustenta mares em ocêanos;
que palmilha pé humanos.....
Ainda, em olhos inocentes, vivendo simplesmente cada sorriso
que dizia 'sim', se quando à visão de retranca, mergulhada nos
sentidos, logicamente, diria 'não'!
Atemporal silêncio - vigas de sustentação..Nisso, expele-se
um intenso calor humano de tanto contentamento; e o amor
que prescede, espalha-se incondicionalmente...
Sempre, irão dizer que sou o que não sei se sou.
A vida, por sí só, resguarda-se em medidas de prevenção.
Displicente, me encontro aos poucos, em outras pessoas.



quinta-feira, dezembro 22, 2011

e, vivendo entre;

 
 
e, vivendo entre;
Ela escreveria escrachadamente depois.
Uma história estranha, dedicada ao ontem,
Que felizmente, já foi!

Vera Lyn Poeta
 
 
 
Meu coração vive transformando amores,
em projetos a longo prazo.
Enquanto isso, vai pulsando incontrolável arritmia
cardiáca, que me quebra; espalha e
semeia em areias!

Vera Lyn Poeta
 
 
Ela agora, pega certas coisas e enterra.
Pisoteia e dança encima; afunda até não ouvir nem
mais um simples som....Pudera, ela é refeita em memórias!!!

Vera Lyn Poeta

quarta-feira, dezembro 21, 2011

E por falar em saudade....

 
 
 
 
 
A saudade é uma vida que se separou da vida da gente, ontem!
E, como dói no coração!!!!!

 
 
 
 
 
A saudade é essa vontade de ir aí....buscar você;
sem ter que explicar nada, só tomar-te pelas mãos,
fazer-te sentir que preciso muito de você!
 
Vera Lyn Poeta

pela vida!

 
"Aprendi a matar uma, duas ou três cobras por dia
e a deixar livre, os Leões!"

Vera Lyn Poeta 
 

...que a vida esta doendo...















"Dá-me a tua mão desconhecida, que a vida está me doendo, e não sei como falar..
- a realidade é delicada demais, só a realidade é delicada, minha irrealidade e minha 
   imaginação são mais pesadas."

Clarice Lispector

terça-feira, dezembro 20, 2011

Todos os Dezembros de nossas vidas!














Não queria falar sobrê isso (festas Natalinas), mas não dá pra segurar e, lá vai.
Posso ver, mesmo com toda essa distância em que tudo se perdeu. Clara e ávi
damente a correria, a alegria, a diposição, em que reuniámos em torno dessa
festa natalina.
Comemoriaríamos Jesus Cristo em seu nascimento, meu aniversário e por certo
a união máxima da família!
A árvore de natal, já montada no primeiro dia de dezembro, por todas as mãos
da família reunida!
O sonho do presente e a longa espera pelo papai-noel!
A roupa nova, o calçado brilhando nos pés então, à Missa do Galo. Tudo perfeito.
Quanta gente, meu Deus! Quantos risos, falas gestos, surpresas e olhos brilhando!
Estavámos todos, alí.
Música contaminando todos os ambientes, e a brincadeira do amigo secreto! ahaha!
Noutro dia, a comilança, cada um com seu peito inchado de tanta felicidade. Almas
satisfeitas de abraços....
Houve o tempo da fome e houve o tempo do desperdício.
Houve o tempo solitário sem nenhum presente. Houve o tempo do presente. E,
houve o tempo em que o presente perdeu todo o sentido....
Reminiscências sem angustias, agora. Sem tristeza, agora. Talvez uma pitada de
melancolia.... Também, como não poderia haver certa dose de melancolia num tempo
tão espevitado, como esse?!

De tudo, sobraram alguns pensamentos bons e saudosos, talvez.
Sobrou a primavera e as flores. Juntinhas dos sonhos que não morrem, nunca.
E uma dose de esperança que tudo sobreviva ainda, mesmo que por outras famílias, em
outras cabeças.....
A vida continua. Agora a vida é um palco de luzes, brilhos e corres imortais porque 
estará dentro de mim, por toda minha vida.
Por todos os restantes dezembros em primaveras de minha vida!









O vázio fóra da poesia

 
 
 
 
 

08:H00 da manhã de hoje
vou passar um dia inteiro sem acreditar em nada!
Sem ouvir, nada!
Sem querer ver, nada!
Sem sentir nada!
Preciso saber o que realmente é, um 'vázio' fora
da poesia!

Vera Lyn Poeta
-------------------------------------------------------------------------
às 18:10 - horário de Brasília


Não crí em nada, durante esse dia!
Não ouvi, nada!
Não quis ver nada!
Não senti nenhuma emoção; não senti nada!
Fiquei pelos cantos, sem pensar.

O vázio fora da poesia, é horrível!

É um vázio cego, sem cheiros, sem esperanças.
É a vida em preto e branco!

Vera Lyn Poeta.
 

domingo, dezembro 11, 2011













Hão, os que tentam desvendar a vida d'um poeta!
Os pensamentos em naufragios, d'um poeta!
A inconstância pertinente nos versos d'um poeta!
O porquê de tantos sóis pelas noites de insônia, d'um poeta!

Contestam, fontes maravilhadas surgidas de rios sêcos, da

terra sêca, aos olhos d'um poeta!

Parafraseam, emitindo em alto e bom som o ponto final para

o poeta; ponto final e, pronto!

Não percebem sequer, que escoa; deslancha desse ponto final,

à vida do verdadeiro poeta!!

Vera Lyn Poeta

eternidade!

 
 
 
 
 
 
A única raiz que se prolonga agora e corre pelas veias dessa alma, aqui.
É o enraizamento em desapêgos; braços estendidos à crescerem em justa
 liberdade.
Na entrada para a vida - viver.
Ou na porta em saída para deitar-se nos braços
do silêncio - morrer!

Incondicional liberdade, para sempre!
Vera Lyn Poeta

sábado, dezembro 10, 2011

vivam e deixem os outros, viver!

 
O que importa sempre, é o resultado final que você SENTE,
daquilo TUDO que está no teu caminho, mas não te impede
de LEVANTAR, VIBRAR e APLAUDIR!

veralynpoeta

Vivendo, por aí!

Eu sei quando estou bem.
Quando estou bem, minhas pernas pedem rua!
Meu corpo pede abraços.
Minha garganta pede quatro doses d'uma forte bebida;
e a sua mão, segurando a minha, por aí!

veralynpoeta

compatriotas!


Deus, conserva por aí, alguns corações benevolentes.
Para que acomode seus filhos cansados de estrada!
Vivendo de perto, à ternura.

veralynpoeta

quinta-feira, dezembro 08, 2011

Espetáculo!

 
A vida vai juntando os seus sensíveis, para que
o amor incondicional faça-se presente.
Das manhãs abrasadoras, até o frescor da lua que
deságua pelas madrugadas!

veralynpoeta

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Irônico, destino!

 
Atravessei o tempo sim, naquela desengonçada carroça!
Se bem, cheguei à tempo de ver o desvario dessas danças;
Contagiantes solidão que me alcança!

veralynpoeta.

Quebrando, o gelo!

 
 
 
 
 
Enquanto escrevo melancolias; sentimentalidades em poesias.
Acima de mim, sobrê minha cabeça;
Entre-meio o sol do céu e as divergências na terra.
Um helicoptero da Policia Militar, faz uma caçada rigorosa;
Em nome da Lei e da ordem dos dias!
Fraquezas, humanas!
 
veralynpoeta

Letra!


 
 
 
Meu PAI é rígido, comigo!
Não dá, exatamente, o que quero.....
Dá-me, somente o que preciso!
Além de mim, E'le zela pelo meu próprio limite!

Posfácio das mãos que já, escreveu meu destino.
E que me conhece, 'bem' melhor que eu!

Tudo bem! Tudo bem! 
Componha-me, então!

veralynpoeta

Súplica!








Uma pitada é veneno que não mata.
A outra pitada é antídoto que não cura.
E assim reinvento; 
recrio,
refaço,
reproduzo,
recomponho,
reconstituo,
restabeleço..
e então, estou vivendo novamente.

-Note-se: Esta cruz significa o sinal "daquele que se faz cumprir" ... Emoticon heart!

quinta-feira, dezembro 01, 2011

Tudo, já vem, e....pronto!












Também gosto de caminhar ao ladinho da incerteza.
Desse tanto de medo, que em maioria, detém-se.
Gosto de fazer de conta que estou insegura;
Que não CREIO mesmo, que IRÁ acontecer!!
Que é impossível; inadmissível, de SER!


E é assim,  fingindo acreditar em expectativas,
Que TUDO rola. TUDO, acontece.
tudo VEM de mansinho e, aporta!


Ando, dispersa.

veralynpoeta

terça-feira, novembro 29, 2011

A inteligência é dom, e não poder!







 
 
 
 
Ao deparar-me com coisas demasiadas inteligentes,
Saio para fora, acendo um cigarro;

Procuro alguém feliz que não entende quase nada.
Que vive seu mundo abastado de tanta satisfação.

Então evito em ter que desistir de tudo, logo agora,
que tudo começa!

veralynpoeta.

segunda-feira, novembro 28, 2011

sobrevivência

Alguns pais não vão mesmo, reconhecer algum de suas crias.
Que, lhes serão atribuídos em apenas formas físicas;
por trás d'uma genética encolhida....
Seguida por silêncios que irão incomodar,
pelo resto da vida!

veralynpoeta

mundo meu e,...distante mundo!
















Tem alguma coisa dentro meu peito, que não é só minha.
Ela é grande e foge ao meu alcance.
E ela fala a todo instante em meu pensamento.
Me dita a vida em sua sequência; está povoada...
E são alegrias e tristezas. Solidões e companhias.
É uma forma de sentimento, indescritível.
É todo sentimentos.
Parece um mundo que ainda habitarei!

veralynpoeta


domingo, novembro 27, 2011

Eu, patinho feio....

 
 
 
 
 
 
 
Descobri um dia,
Que eu seria mesmo, o patinho feio em certas
rodas e relações....
Saí, à procura de mim mesma.
Resultado: Não seria meu lugar mesmo, certos cais!
Que, as coisas que vivenciaria; viveria,
Não seria um círculo de 'volta e meia - meia volta vamos, dar'!
Havia sim, um infinito solto pelo meu ar! Dimensão!
Ilógica?
Não!
Alma, cada um tem a sua!

veralynpoeta

Dois segundos, de vida!

Hoje sou uma pessoa comum;
Ora carinhosa, ora em fúria.
Não preciso mais tomar choques para acordar;
Tudo chegou ao limite.
E, tudo começa a valer à pena.
Que sejam, mais dois segundos de vida,
estará valendo!

veralynpoeta

quarta-feira, novembro 23, 2011

instante

O mundo inteiro se apaga,
Quando entro dentro de minh'alma,
prá viver em harmonia e, de verdade,
o amor!

veralynpoeta

Melancolia

 
 
 
 
 

Hoje eu só quero o silêncio.
De preferência, o silêncio dos silêncios.
Ficar com minha cabeça deitada no teu peito.
Não fale, nada.
Deixe meus pensamentos caminhar pelos seus;
mesmo em desencontros.
Não é todo dia que é dia. Para mim, ainda não
amanheceu!
Acho que isso, é melâncolia.
Tem poesia em cópula dentro de mim, eu sei.
Minhas mãos estão quentes; muito quentes,
E a minha vida se reparte.....
Esparrame flores margaridas pela casa.
Volte aqui, me dê seu colo.
Hoje é dia de melâncolia.

veralynpoeta

terça-feira, novembro 22, 2011

amar, sem mediocridade

Para mim, não existe a questão de "dar uma força";
Existe mesmo, é amar o próximo; apegar-se, gostar de
sentí-lo por perto!

veralynpoeta

segunda-feira, novembro 21, 2011

Aguçar!













entramos um dentro do outro pelo prazer.
mas não entramos um dentro do outro para SABER....
acho, inconcebível - penso.
porque se faz íntimo demais tanto sentimento;
porque é muito louco esse extremecimento...e é
particular e intransferível!

veralynpoeta.

O amanhã, ao amanhã, pertence!

 
 
 
 
 
 
 
Gasto meus súbitos.
Desgasto a sola dos pés, seus dedos e unhas.
Uso todo meu sentimento.
Gasto o que vejo à mais, e o de menos, também.
Gasto à fome.
Gasto os sonhos.
Gasto e ultrapasso em gastos, à emoção!
Disponibilizo e desgasto todo e qualquer desejo.
Escafuncho e gasto à noite.
Gasto minhas alegrias e desesperos, eu gasto!
Gasto por fim, minha vida!
O amanha, ao amanhã, pertence!

veralynpoeta

sábado, novembro 19, 2011

Visão






 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Acho que dei tudo de mim, para eles, naqueles amanheceres...
De lá para cá, eu os desconheço.
Simplesmente, deixaram de existir dentro de mim.
Morreram como morrem as minhocas, no sêco!
E isso torna-se orgânico - depois que a alma intercede.
 
E eu, iludidamente, pensei em amá-los e respeitá-los,
por toda minha vida - vão!
Foi melhor assim. Somente assim, pude me ver melhor;
tocar-me por fim!

veralynpoeta.

sexta-feira, novembro 18, 2011

Minha alma, ri....serenamente, sorri.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vejo o mundo de hoje, com os olhos do medo;
Medo esse, correspondido.

No tocante, a ALMA ri, serena!
Diferente do espírito, a ALMA dita:
"Conhecer a alma humana; ter alma de poeta!"

Percebo que a ALMA diz "voltar à sí..."
Desatando assim, nós; desgraçados nós
inventados pelo homem sangrador;
criados por cupulas desumanas.

Não tenho vergonha de dizer, que existe em minha vida,
O seguimento de um mindo melhor. No qual, vivo
deliberadamente, sem pré-conceitos!

veralynpoeta

...desse mundo louco...

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Todos os dias, sentimentos opostos, devoram meu peito!
Me vejo então em renascer e recomeços.
Impossível creditar ao ontem, o que sinto agora!

É uma sequência muito doida de coisas que não
advém em explicações.....
... Cosmicamente falando, GIRO no céu desse mundo louco!
E a minha existência, oxála Deus, pudesse explicar!

veralynpoeta

quinta-feira, novembro 10, 2011

Que caia! Que tudo, raia!

 
 
 
 
 
A casa vai cair?
Que caia!!!
Estarei pelos umbrais da poesia.
Gosto desse destino perplexo e inconveniente;
Às formigas que amontoam, sucessivamente,
Seus ramos de verões, para futuros invernos!
Não dá para viver sem ousar!
Não dá para viver sem sentir à mim mesma!

veralynpoeta

Clarice Lispector.......Na minha vida!




Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter....calçe os meus sapatos,
e percorra o caminho que eu percorri.
Viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e minhas alegrias.
Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei, e levante-se
assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar.
Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos
outros.

Você não sabe como foi o caminho que elas tiveram que trilhar na vida!

(Clarice Lispector)

Eis à Colheita!

 
 
 
 
 
Se estou fazendo algo,
Devo acreditar no que estou fazendo!
Toda ação é seguida de reação.
E sabendo que colhemos para sí o que plantamos,
Não há com que se preocupar. Haverá de vir à colheita!
Começar plantando o bem, é preciso!

Esquecendo à grande parte, que veio para destruir;
Penso sempre em Jesus Cristo, há dois mil e onze anos atrás,
Tentando acalmar os ânimos da humanidade;
Trazendo para sí, ao BEM, dentro de intensa psicologia;
àqueles que já, agiam mal intencionados.

Nada mudou e porisso, o amor em desígnio, ainda é a única
saída!


veralynpoeta

terça-feira, novembro 08, 2011

TOC's de Amor!

 
 
 
 
 
 
 
Palavras de amor, sutilmente em palavras de amor.
TOC's de amor.......
Avisos de amor; prenúncios.
Quem procura, é de onde vem o espanto!
Cotidiano tentando relacionar-se com a realidade.
O amor, por vêzes, fica entre palavras.
É esse o jogo tenso, na medida de força com a ilusão;
que a própria ilusão, processa.
Quem procura acha ?
Acha e se assuta.
Quem procura é de onde vem o espanto!!!

veralynpoeta.

Desatino

 
 
 
 
 
 
Até que ponto, teus braços calarão meu pranto?
Até que ponto, esse amor saciará meu canto?
Até que ponto, nesse núcleo de eixo,
Prevalecerá o encanto?

Rotina de cercas em beijos e desejos; Fadiga?!

Vê-me, descrevendo em habilidade o eterno,
E por sim, não saiba vivê-lo!

Pressentes minha agônia. Vira-se ao canto,
E no sufoco do silêncio,
Chora teu próprio desencanto!

E eu penso que não me deixes, pelo amor de Deus.

veraLynpoeta.

sábado, novembro 05, 2011

Gatos Pardos !

 
 
 
 
 
 
Não posso e nem devo ficar sentada, nesse mundo louco,
Esperando que alguém me diga: Oh, você é maravilhosa, oh!!!
E isso, levar-me a colocar uma indefectível roupa melhor.
Pintar meu rosto, descaracterizando-me...
Acomodar-me com as pernas - uma colada na outra, e sentindo
o fêmur, corroer!

Acho que não vai dar.
Cada um é cada um.
Já vem escrito nas estrelas.
Preciso caminhar em liberdade para render.
Porque no final, depois de algumas emoções fortes,
Todo gato se torna pardo!

veralynpoeta